Coronavírus COVID-19

PARA MAIORES INFORMAÇÕES, ACESSE O SITE DO MINISTÉRIO DA SAÚDE: https://saude.gov.br/

Saiba como se proteger do novo coronavírus (COVID-19) e tire as principais dúvidas sobre o vírus

CARTILHA INFORMATIVA SOBRE PROCEDIMENTOS RELATIVOS AO CORONAVÍRUS (COVID-19) NO TJRR

Procedimentos Administrativos

Para esclarecimentos e informações sobre afastamento do local de trabalho ou licença médica por suspeita/ confirmação de contágio pelo Coronavírus, seguem procedimentos que devem ser adotados por servidores ou magistrados que apresentarem sintomas de gripe, febre alta, dentre outros similares a COVID-19, mediante a PORTARIA CONJUNTA Nº 9/2020:

Nos casos de retorno de viagens como devem proceder os servidores e magistrados deste Tribunal?

Retornando de viagens a outros estados ou países, devem:

  • Permanecer em regime de teletrabalho, por período mínimo de 14 (quartoze) dias;
  • Tratando-se de magistrado, requerer o teletrabalho à Presidência do Tribunal, via SGM;
  • Requerer o teletrabalho junto à chefia imediata, no caso dos demais servidores;
  • Encaminhar o pedido via SEI;
  • Anexar o comprovante de viagem.

Obs: O pedido deve ser instruído em regime de urgência pela SGM ou pela SGP.

E nos casos de suspeita ou confirmação de COVID-19, como devem proceder?

  • Requerer licença médica, acompanhada de atestado médico ou da notificação de isolamento emitida por unidade de saúde, que será homologada administrativamente, sem necessidade da presença física do interessado.
  • Encaminhar por via eletrônica (SEI).
  • Anexar o comprovante de viagem, em caso de retorno desta.

1 - Tratando-se de Magistrado, requerer licença médica junto à Presidência do Tribunal, via SGM.

2 - No caso dos demais servidores, requerer via chefia imediata.

3 - O pedido deve ser:

  • Encaminhado via SEI;
  • Instruído em regime de urgência pela SGM ou pela SGP;
  • Acompanhado do atestado médico ou da notificação de isolamento emitida por unidade de saúde, sem necessidade da apresentação física do documento.

OBSERVAÇÃO: Os servidores e magistrados que possuam 60 (sessenta) anos ou mais, e/ou aqueles portadores de doenças crônicas, devem exercer suas atividades por meio de teletrabalho, conforme orientações do Ministério da Saúde acerca da classificação do grupo de rico para a COVID-19.


Você conhece o mais novo protocolo da CSOP/SUBSA para atender os servidores e seus dependentes nas notificações de casos suspeitos e confirmados para COVID-19? Não?! Então conheça agora:

1. Gere um processo ‘gestão de pessoas’ e de nível restrito dentro do SEI;

2. Preencha completamente o Formulário de Notificação Covid-19, disponível no próprio SEI;

3. Não esqueça de assinar o formulário;

4. Caso a notificação seja para um dependente, anexar ao processo os documentos de identificação pessoal;

5. Encaminhar à CSOP, deixando-o aberto na unidade de origem para acompanhamento;

6. Com base nos sintomas descritos, serão emitidas recomendações ou requisitado o exame pelo médico Assessor de Saúde;

7. Emitida a requisição do exame, caso tenha sido indicado pelo médico o teste RT-PCR, a Subsecretaria de Saúde solicitará o agendamento no laboratório Sabin;

8. O laboratório Sabin, credenciado ao Plano de Saúde, agendará o teste e comunicará ao servidor a data e horário da coleta do material.

9. Após o recebimento do laudo médico com o resultado do teste, o servidor requerente deverá anexá-lo no processo de sua notificação;

10.O médico Assessor de Saúde analisará o resultado do teste e os dados de saúde informados, para assim, prescrever a medicação, cuidados necessários, manutenção ou suspensão do isolamento social e homologar licença médica, de acordo com cada caso.

OBSERVAÇÕES:

    • Notificação de casos em que a pessoa está entre o 3º e 7º dia de sintomas: será requisitado o teste RT-PCR (COBERTO PELO PLANO DE SAÚDE);
    • Notificação de casos em que a pessoa está no 8º dia de sintomas ou mais: será requisitado o teste RÁPIDO (AINDA NÃO COBERTO PELO PLANO DE SAÚDE);
    • Notificação de casos em que a pessoa está no 15º dia de sintomas ou mais: será requisitado o teste de Sorologia IgM e IgG (AINDA NÃO COBERTO PELO PLANO DE SAÚDE);
    • A escolha do teste a ser receitado pelo médico é com base na eficácia e confiabilidade do resultado para cada período da infecção, de acordo com os estudos e orientações do MS.
    • Nos casos confirmados para COVID-19, cuja testagem tenha sido realizada fora do protocolo de notificação da CSOP/SUBSA, o servidor deve informar a administração do TJ e, para tanto, poderá fazer uso do mencionado protocolo, escolhendo no formulário a opção “1. Comunicar a Administração caso POSITIVO de contágio de COVID-19.


ATENÇÃO!

  • Nos casos suspeitos de COVID-19 ligue 136 ou acesse saude.gov.br/coronavirus e fale no chat ou mande um "oi" no WhatsApp, no número 61 9938-0031.
  • No caso de suspeita de infecção por COVID-19 ou de contato próximo com pessoas que tiveram seus testes confirmados, ficar em regime de quarentena domiciliar por 14 (quatorze) dias, acompanhando a evolução dos sintomas e seguindo as orientações de prevenção ao contágio da OMS e do Ministério da Saúde.
  • No caso de suspeita de infecção por COVID-19, dirigir-se a uma unidade de saúde de urgência e emergência, somente se apresentar todos os sintomas sugestivos da doença: tosse seca persistente, coriza, febre alta e falta de ar.
  • Lembrando que a Agência Nacional de Saúde (ANS) inclui exame para detecção de Coronavírus no Rol de Procedimentos obrigatórios (Exame PCR: detecta precocemente a infecção ativa em pessoas com sintomas sugestivos; mais informações na aba Covid-19/Unimed FAMA).
  • Durante o período de cumprimento das medidas preventivas contra a COVID-19, as informações do Plano de Saúde serão fornecidas por meio dos celulares 95 99116-7476 (Alzanete, para primeiro atendimento) e 95 99173-7015 (Francinaldo, fiscalização).
  • Informações sobre licenças médicas e demais orientações relativas à SUBSA no celular (95) 99119-9108.

IMPORTANTE: O SUS desenvolveu um aplicativo que comunica informações sobre o COVID-19 e ainda realiza uma triagem virtual, indicando se é necessário ou não a ida a hospitais! Acesse:

iOS: https://apps.apple.com/br/app/coronav%C3%ADrus-sus/id1408008382

Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.datasus.guardioes

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Nota técnica sobre uso de máscara caseiras

A Lei nº 13.969, de 06 de fevereiro de 2020 e a Portaria nº 327, de 24 de março de 2020, que estabelecem medidas de prevenção, cautela e redução de riscos de transmissão para o enfrentamento da COVID-19, fixam a utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

O Ministério da Saúde tem realizado ações para adquirir esses produtos de diversos fornecedores, tanto nacionais quanto internacionais, bem como ações no sentido de descentralizar os recursos para apoiar os estados, municípios e Distrito Federal na compra desses EPIs conforme suas necessidades.

Diante do cenário da pandemia pelo COVID-19, há escassez de EPIs em diversos países, em especial das máscaras cirúrgicas e N95/PFF2, para o uso de profissionais nos serviços de saúde (Resolução de Diretoria Colegiada - RDC nº 356, de 23 de março de 2020).

O Ministério da Saúde recomenda que máscaras cirúrgicas e N95/PFF2 sejam priorizadas para os profissionais para garantir a manutenção dos serviços de saúde.

O uso de máscaras caseiras passa a ser um fenômeno internacional no enfrentamento do COVID-19 visando minimizar o aumento de casos. As pesquisas têm apontado que a sua utilização impede a disseminação de gotículas expelidas do nariz ou da boca do usuário no ambiente, garantindo uma barreira física que vem auxiliando na mudança de comportamento da população e diminuição de casos.

Nesse sentido, sugere-se que a população possa produzir as suas próprias máscaras caseiras em tecido de algodão, tricoline, TNT, ou outros tecidos, que podem assegurar uma boa efetividade se forem bem desenhadas e higienizadas corretamente. O importante é que a máscara seja feita nas medidas corretas cobrindo totalmente a boca e nariz e que esteja bem ajustada ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.

Como fazer uma máscara caseira:

Existem diferentes formas para confeccionar as máscaras caseiras, podendo utilizar materiais encontrados no dia-a-dia, como camisetas ou outras roupas em bom estado de conservação, até tecidos específicos confeccionadas com máquinas de costuras e elásticos.

Algumas orientações de como confeccionar as máscaras caseiras estão sendo compartilhadas em diversos canais de comunicação, como cortar camisetas deixando em camada dupla e formas que possibilitem a fixação ao rosto, ou recortes de tecidos com metragem de 21 e 34 cm e com utilização de elásticos (Figura 1).

Figura 1- Confeccionado sua máscara

Modelo 1, usando uma camiseta:

Fonte: Mask4all, Disponível em: https://masks4all.co/#how-to-make-a-mask , acessado em 02 abr. 2020.

1. Corte a camiseta e espessura dupla usando como base as marcações indicadas na figura;

2. Faça um ponto de segurança na parte inferior (para segurar ambas as toalha);

3. Insira um papel entre as camadas;

4. Amarre a alça superior ao redor do pescoço, passando por cima das orelhas;

5. Amarre a alça inferior na direção do topo da cabeça;

Modelo 2, usando costura e elástico:

1. Separe o tecido que tenha disponível (tecido de algodão, tricoline, TNT, outros têxteis), se possível, dê preferência ao tricoline.

2. Faça um molde em papel de forma no qual o tamanho da máscara permita cobrir a boca e nariz, 21 cm altura e 34 cm largura

3. Faça a máscara usando duplo tecido.

4. Prenda e costure na extremidade da máscara um elástico, ou amarras.

As medidas de utilização e higienização das máscaras caseiras fazem a diferença para a eficiência da iniciativa. Desta forma, os seguintes cuidados devem ser utilizados:

1. O uso da máscara caseira é individual, não devendo ser compartilhada entre familiares, amigos e outros.

2. Coloque a máscara com cuidado para cobrir a boca e nariz e amarre com segurança para minimizar os espaços entre o rosto e a máscara.

3. Enquanto estiver utilizando a máscara, evite tocá-la na rua, não fique ajustando a máscara na rua.

4. Ao chegar em casa, lave as mãos com água e sabão, secando-as bem, antes de retirar a máscara.

5. Remova a máscara pegando pelo laço ou nó da parte traseira, evitando de tocar na parte da frente.

6. Faça a imersão da máscara em recipiente com água potável e água sanitária (2,0 a 2,5%) por 30 minutos. A proporção de diluição a ser utilizada é de 1 parte de água sanitária para 50 partes de água (Por exemplo: 10 ml de água sanitária para 500ml de água potável).

7. Após o tempo de imersão, realizar o enxágue em água corrente e lavar com água e sabão.

8. Após lavar a máscara, a pessoa deve higienizar as mãos com água e sabão.

9. A máscara deve estar seca para sua reutilização.

10. Após secagem da máscara utilize o com ferro quente e acondicionar em saco plástico.

11. Trocar a máscara sempre que apresentar sujidades ou umidade.

12. Descartar a máscara sempre que apresentar sinais de deterioração ou funcionalidade comprometida.

13. Ao sinais de desgaste da máscara deve ser inutilizada e nova máscara deve ser feita.


O uso das máscaras caseiras é mais uma intervenção a ser implementada junto com as demais medidas recomendadas pelo Ministério da Saúde como o distanciamento social, a etiqueta respiratória e higienização das mãos visando interromper o ciclo da COVID-19.

Essas medidas recomendadas pelo Ministério da Saúde quando adotadas em conjunto potencializam os efeitos da proteção contra o COVID-19 no país e por isso são tão importantes de serem adotadas por toda a população. A participação de todos é extremamente importante para a interrupção da cadeia de transmissão, independente da presença ou não de sintomas, uma vez que já existem evidências da ocorrência de transmissão pessoa a pessoa.

Nesse sentido, o Ministério da Saúde adere e reforça a iniciativa organizada pela sociedade, chamada “Máscara para Todos” (#Masks4All) e reforça o lema “Eu protejo você e você me protege”.

Fonte:

Lei nº 13.969, de 06 de fevereiro de 2020

Portaria nº 327, de 24 de março de 2020,

Resolução de Diretoria Colegiada - RDC nº 356, de 23 de março de 2020

Testing the Efficacy of Homemade Masks: Would They Protect in an Influenza Pandemic?https://www.cambridge.org/core/services/aop-cambridge core/content/view/0921A05A69A9419C862FA2F35F819D55/S1935789313000438a.p f/testing_the_efficacy_of_homemade_masks_would_they_protect_in_an_influenza_pandemic.pdf

Chin, A., Chu, J., Perera, M., Hui, K., Yen, H.-L., Chan, M., Peiris, M., & Poon, L. (2020). Stability of

SARS-CoV-2 in different environmental conditions. MedRxiv, 2020.03.15.20036673. https://doi.org/10.1101/2020.03.15.20036673

SARS-CoV-2 Viral Load in Upper Respiratory Specimens of Infected Patients https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMc2001737

DURANTE A QUARENTENA E A LUTA PARA VENCER A PANDEMIA TAMBÉM É INDISPENSÁVEL O CUIDADO COM A ALIMENTAÇÃO E OS ALIMENTOS!!!

Das prateleiras à mesa_pandemia.pdf


TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RORAIMA

SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS

SUBSECRETARIA DE SAÚDE/ COORDENAÇÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL E PREVENÇÃO

NOTA INFORMATIVA_COVID-19

Caso tenha um paciente em isolamento domiciliar por conta de suspeita ou confirmação de COVID-19, o que devo fazer?

    • Ser mais frequente na lavagem das mãos, com água e sabão ou uso de álcool em gel.
    • Dormir em ambientes separados.
    • Use máscara de proteção no paciente e no cuidador, caso tenha necessidade de aproximação.
    • No caso de uso da máscara de tecido, a troca deve ser feita a cada 2 horas ou sempre que estiver úmida.
    • Isolar o paciente em um dos cômodos (não permitir que o paciente utilize áreas comuns, exceto banheiro) e manter a porta fechada.
    • Caso não tenha um banheiro exclusivo, o paciente deverá ser o último a utilizar o banheiro e higienizar as áreas de contato, com água e sabão ou água sanitária.
    • Não compartilhar utensílios.
    • Para roupas de cama e banho, o paciente deverá fazer a troca e deixá-las em sacos plásticos para que outra pessoa lave.
    • Ao lavar as roupas, evite sacudi-las e higienize as mãos e antebraços após tocar nas peças.
    • Intensifique a frequência de limpeza dos computadores, teclados e celulares com lenço umedecido em álcool em gel 70% ou desinfetantes.


Observação: Orienta-se que o servidor com suspeita de contágio por COVID-19 permaneça em regime de teletrabalho até que apresente o resultado do teste ou até que tenha passado o período de 14 dias da quarentena e, caso não esteja em condições de saúde, devido aos sintomas apresentados, deve informar no processo de sua notificação.

ILDERSON PEREIRA SILVA

ASSESSOR DE SAÚDE OCUPACIONAL E PREVENÇÃO

ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

CRM/RR 1733 RQE 676