Saúde Mental

Resiliência

A resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com os problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas. É frequentemente referida por processos que explicam a “superação” de crises e adversidades em indivíduos, grupos e organizações. Alguns estudiosos reconhecem a resiliência como um fenômeno comum e presente no desenvolvimento de qualquer ser humano.

O dicionário de língua inglesa Longman Dictionary of Contemporary English (1995) oferece duas definições de resiliência: “habilidade de voltar rapidamente para o seu usual estado de saúde ou de espírito depois de passar por doenças, dificuldades etc.: resiliência de caráter”; “é a habilidade de uma substância retornar à sua forma original quando a pressão é removida: flexibilidade”.

Sobre o contexto da flexibilidade, algumas características que integram o processo de resiliência são citadas abaixo:

  • Capacidade para mudanças: reformulação, reorganização e adaptação;
  • Estabilidade: sentido de continuidade e rotina;
  • Inspiração: criatividade e visualização de novas possibilidades;
  • Transformação: aprender e crescer através das adversidades;
  • Foco nos objetivos: dar passos concretos; aprender através dos erros;
  • Postura proativa: prevenção de problemas, resolução de crises, preparação para futuros desafios.

Indivíduos que são resilientes são capazes de acreditar em si mesmos e em sua capacidade de gerenciar eficazmente os desafios da vida, além de possuírem uma perspectiva positiva e esperançosa. Todos nós temos maneiras diferentes de lidar com as circunstâncias negativas e, portanto, diferentes estratégias que podem levar ao desenvolvimento da resiliência, uma vez que ela é uma característica que pode ser amplamente desenvolvida.

ESTRESSE

Alguns sintomas no seu corpo podem ser sinais de alerta, fique atento! 🔎

  • Cabeça: dores de cabeça incluindo enxaqueca, humor instável, raiva, irritabilidade, falta de energia, oscilações no apetite, problemas de concentração, dificuldade para dormir.
  • Pele: alergias, acne, dermatite seborreica e envelhecimento precoce.
  • Articulações e Músculos: dores, tensão e redução da densidade óssea.
  • Coração: aumento da pressão arterial, da frequência dos batimentos cardíacos e dos níveis de colesterol, além de casos de infarto.
  • Estômago: cólicas estomacais, refluxo, enjoo e problemas digestivos.
  • Intestino: síndrome do cólon irritável, diarreia e constipação.
  • Sistema Reprodutivo: diminuição da libido.
  • Sistema Imunológico: diminuição da capacidade de defesa, resfriados frequentes e demora na recuperação de doenças.

Estresse é o termo utilizado para designar um conjunto de reações que causam distúrbios no equilíbrio do organismo.

Podendo ser definido também como uma relação particular entre uma pessoa, seu ambiente e as circunstâncias às quais está submetida que ameaçam ou põem em perigo o seu bem-estar.

A visão biopsicossocial do estresse considera que os estímulos estressores podem ser tanto externos (de ordem física ou social), quanto interno (pensamentos, emoções, fantasias e sentimentos como angústia, medo e tristeza).

A forma com que você lida com as situações, como encara os problemas e as exigências da vida são ações que atenuarão ou amenizarão o estresse.

Saber identificar exatamente o que te estressa e procurar possibilidades de evitar tais fatores já é um bom início para trabalhar sua saúde física e mental.

DICAS da Psicóloga 🤓

Ingerir alimentos saudáveis, fazer atividades físicas e separar um tempo para fazer algo que te proporcione prazer também te ajudará positivamente nesse processo.